sábado, 21 de novembro de 2009

Massagem no Século XX / XXI


Sigmund Freud (1856-1939), teórico e neurologista austríaco que desenvolveu o sistema da psicanálise, experimentou o uso da massagem no tratamento da histeria, uma forma de doença mental comum em seu tempo. Essa condição é caracterizada por uma paralisia que não tem qualquer base fisiológica. Os Estudos sobre Histeria de Freud, publicados em 1895, explicavam seus métodos.

Wilhelm Reich, psicanalista austríaco que foi assistente clínico de Freud durante seis anos, ficou interessado na base fisiológica da neurose. Em 1934, Reich emigrou para os Estados Unidos. Ele é considerado por muitos como o fundador das técnicas psicoterapêuticas de corpo. Aos poucos, Reich mudou a ênfase de sua abordagem terapêutica, afastando-a do campo psicológico para o físico, o corpo. Reich desenvolveu muitas técnicas somáticas para dissolver a armadura muscular. Por causa de suas técnicas controvertidas, entrou em conflito com o establishment médico e, mais tarde, foi investigado pela Food and Drug Administration dos EUA. Condenado por práticas médicas fraudulentas, morreu em 1957, quando cumpria sua sentença em prisão federal. As antigas terapias e idéias de Reich influenciaram muito o trabalho corporal contemporâneo. A bioenergética, uma somatoterapia popular, evoluiu diretamente a partir de seu sistema. A bioenergética foi fundada por Alexander Lowen, um psiquiatra americano estudante de Reich durante doze anos.

Randolph Stone : 1900 a 1960. No começo dos anos de 1900, o dr. Randolph Stone, médico americano, inventou a terapia da polaridade. Stone estudou muitos sistemas de corpo, tanto antigos como modernos, inclusive a acupuntura, o hatha yoga, a osteopatia, as técnicas quiropráticas e a reflexologia. A partir de suas investigações, ele concluiu que "campos magnéticos" regulavam e dirigiam os sistemas fisiológicos do corpo. Influenciado pela medicina e pela filosofia oriental, Stone acreditava que todos os aspectos do universo eram expressos em pólos opostos (por exemplo, macho e fêmea, cargas elétricas po¬sitiva e negativa); por conseguinte, chamou seu método terapêutico de "polaridade".

Edgar F. Cyriax, em 1907, começou uma ilustre carreira como editor, que se estendeu por quase 40 anos. Ele foi o último grande patrocinador da cura de movimento sueco de Ling, que chamava de mecanoterapêutica.


Na virada do século XIX, os Estados Unidos e a Inglaterra olhavam para o Japão em busca de inovação na reabilitação vocacional do cego. Em 1900, foi fundado o British Institute for Massage by the Blind. Outras nações européias tentaram desenvolver seus próprios modelos das instituições japonesas e britânicas, mas fracassaram.
Um livro didático publicado em 1900 por Albert Hoffa e revisto em 1913 por Max Bohm descreve as técnicas mais clássicas de massagem, como a effleurage (deslizamento), pétrissage (amassamento) ─ Pare, da França, no Sec. XVI transcreveu e publicou uma literatura antiga sobre fricções junto com sua própria aplicação específica para pacientes cirúrgicos. Seu trabalho foi reconhecido e a terminologia francesa para as técnicas específicas de massagem são usadas até hoje ─ tapotagem e vibração. A maioria dos terapeutas aprende esses métodos como técnicas-padrão de massagem nos programas iniciais. Entretanto, muitos profissionais da época desconsideravam esse tipo de massagem, considerando-a básica demais para ser incluída no campo da terapia manual avançada. Outros foram contrários a abandonar as técnicas tradicionais da massagem, acreditando que os fundamentos não poderiam ser substituídos por formas mais modernas de trabalho corporal.

Dr. James B. Mennel ,em 1916, dividiu os efeitos da massagem em duas categorias: ações mecânicas e ações reflexas. Mennel mostrou que a massagem exercia efeito mecânico de quatro maneiras:
• Ajudando o retorno venoso do sangue ao coração;
• Promovendo o movimento linfático nos tecidos;
• Alongando o tecido conectivo (como tendões, tecido de cicatriz);
• Pela estimulação mecânica do estômago, intestino delgado e cólon.
Mennel também sustentava que determinadas formas de estimulação tátil, como o alisar e o toque leve, estimulavam arcos reflexos (em neurologia: conjunto de formações nervosas que permite a captação de um estímulo e a reação que ele provoca), fazendo os músculos relaxarem ou contraírem de acordo com o tipo de movimento... Pesquisa experimental de agora dá suporte às teorias de Ling, Mennel e outros , de que a massagem tem efeitos mecânicos e reflexos.


A epidemia de poliomielite de 1918 aumentou o interesse pela massagem, porque as vítimas e suas famílias estavam desesperadas em busca de algum remédio que oferecesse uma esperança. Começou, nessa época a pesquisa sobre os benefícios proporcionados pela massagem na prevenção das complicações da paralisia.

A massagem do tecido conectivo (MTC) foi desenvolvida nos anos 1920 pela fisioterapeuta alemã Elizabeth Dicke; mais tarde, foi expandida por Maria Ebner. A MTC foi usada pela primeira vez quando a própria Dicke estava sofrendo de uma enfermidade prolongada causada por uma "deterioração da circulação" na perna direita. Como no caso de Ling, a busca pela autocura aumentou muito o desenvolvimento da massagem. Durante essa época, Emil Vodder, um fisiologista dinamarquês, e sua mulher Estrid desenvolveram uma técnica de massagem leve ao longo dos vasos linfáticos superficiais; essa técnica foi chamada de drenagem da linfa ou drenagem linfática manual. Foi e ainda é usada para tratar linfedema crônico e outras doenças dos sistemas linfático e vascular periférico.


A American Association of Masseurs and Masseusses foi formada em Chicago, em 1943. Mais tarde, foi rebatizada como American Massage Therapy Association. Outra organização profissional, a International Myomassetics Federation, foi fundada mais tarde pelos esforços de Irene Gauthier, uma notável instrutora de massagem, e de outros.


James H. Cyriax, filho de Edgar Cyriax, tornou-se cirurgião ortopedista do St. Thomas Hospital, uma prestigiada instituição de ensino em Londres. O jovem Cyriax ganhou fama pelo desenvolvimento da massagem da fricção transversa. No final dos anos de 1940 e começo dos anos de 1950, publicou a primeira edição de seu agora clássico Textbook of orthopedic medicine. Sua obra é especialmente significativa na área da massagem por causa de seu reconhecimento, categorização e diagnóstico diferencial da patologia dos tecidos moles do corpo. O fato de que a dor pode ser causada por disfunção dos tecidos moles inclusive, mas não limitado ao tecido conectivo periarticular, é o fundamento da atual manipulação do tecido mole. Cyriax também foi o primeiro a introduzir o conceito de "tato final" no diagnóstico das lesões do tecido mole.



O Dr. Herman Kabat pesquisou conceitos neuromusculares baseado na obra de neurofisiologistas e no reflexo condicionado de Pavlov. A lei da indução sucessiva, de Sherrington, forneceu o fundamento para o desenvolvimento da estabilização rítmica e técnicas de reversão lenta. Em 1951, iniciou-se pesquisa sobre um novo método, que foi formalizado em 1956 no livro Proprioceptive neuromuscular facilitation, escrito por Margaret Knott e Dorothy Voss.


Francis Tappan e Gertrude Beard também escreveram importantes artigos e livros sobre técnicas de massagem durante os anos de 1950. Seus textos ainda estão disponíveis, e os estudantes de massagem se beneficiariam com a leitura dessas obras clássicas. A partir de seus escritos, Fran Tappan continua a influenciar a profissão da massagem em entrevistas, conferências sobre o futuro da massagem e consultas com muitos líderes desse campo. Ela foi homenageada pela American Massage Therapy Association por suas contribuições para a massagem.


1960 até hoje: O renascimento mais recente da massagem começou por volta de 1960 e continuou até os dias de hoje. Aumentou o reconhecimento de doenças crônicas que são resistentes ao tratamento cirúrgico ou com drogas. Nesses casos, parece que não funciona nem o conceito de tratamento agudo nem uma abordagem de solução única. Teve de ser desenvolvida uma maneira mais complexa de ver e tratar essas doenças, e a massagem é uma abordagem que se tem mostrado eficiente no decorrer do tempo.


O movimento humanista, que começou durante os anos de 1960, espalhou-se para a medicina e o sistema de saúde aliado. Preocupações em relação aos benefícios do toque levantaram de novo a questão da legitimidade e de valor da massagem só por seu uso psíquico.


Mais tarde, o movimento Esalen e a psicologia da Gestalt inspiraram psicólogos e psicoterapeutas a explorar a massagem e outras terapias de movimento. Muitos estudos controlados em clínica sobre medicina, enfermagem, fisioterapia e psicologia inspiraram mais interesse acadêmico e clínico na massagem.


Em 1960, um maior conhecimento médico de que a falta de exercício contribuía para doenças cardiovasculares e outras enfermidades levou o presidente John F. Kennedy a enfatizar a boa forma física, sobretudo para as crianças. Esse novo interesse transformou-se no movimento de forma física do final dos anos de 1960 e levou as ciências de saúde a um movimento em direção à medicina preventiva. Os benefícios dos esportes foram redescobertos e, como resultado disso, revelou-se a literatura histórica no campo da massagem, como o livro de Albert Baumgartner, Massage in athietics, que discutia o relacionamento entre a massagem e o exercício e o valor da massagem no condicionamento e no controle do estresse.


Durante os anos 1970 e 1980, a acupressão recebeu mais atenção do que qualquer outro método de trabalho de corpo. A literatura médica, de fisioterapia e de enfermagem examinou-a a fundo na base de experiências clínicas controladas. Nos escritos sobre enfermagem e medicina de reabilitação, surgiu um conjunto, de conhecimentos concernentes aos benefícios da massagem na prevenção e no tratamento das úlceras de decúbito e no tratamento global da pressão sanguínea e do ritmo cardíaco em pessoas que sofrem de manifestações agudas e crônicas de doença cardiovascular.


Richard Van Why disse: "Foi no campo da pesquisa sobre dor e do tratamento da dor que foram verificados os maiores ganhos para a massagem". Ronald Melzack, professor de psicologia no departamento de anestesiologia da Escola de Medicina da McGileI University e um dos primeiros proponentes da teoria do controle da comporta da dor, publicou os resultados de várias experiências clínicas controladas sobre o valor da massagem de gelo e da massagem manual para o alívio da dor de dente e na coluna lombar. Melzack não apenas considerou essas técnicas eficientes para prevenir ou reduzir a dor como também propôs os mecanismos neurais pelos quais elas operam. Outros pesquisadores retomaram esse tema e começaram a examinar o papel da massagem na liberação de endorfinas, substâncias químicas analgésicas mais potentes do que a morfina que são produzidas pelo cérebro em resposta a determinados estímulos, inclusive a massagem.
No final dos anos de 1980, Melzack propôs uma teoria para explicar essa liberação de endorfina no prestigiado jornal Clinics in anesthesiology. Sua teoria da hiperestimulação analgésica foi a primeira nas décadas recentes, inspirada por descobertas que dizem respeito à massagem. Ela argumentava que determinados estímulos sensoriais intensos, como a punção por meio de uma agulha ou a exposição à pressão ou frio extremo, quando aplicados próximo ao local de um ferimento, enviavam um sinal ao cérebro por um canal mais rápido do que aquele usado pelo sinal da dor que estava tentando tratar, rompendo assim a própria dor.

Fonte:intenet

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails