quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Massagem orienta facial


Tomoko promove um equilíbrio holístico, abordando a energia dos tecidos e usando a combinação ancestral de diversas técnicas Japonesas.
Esta massagem atua com pequenas pressões e movimentos circulares do polegar nos músculos mais cansados, auxiliando a mobilidade do corpo. Para além do aroma suave e relaxante do óleo de camélia e Mandara, o segredo desta nova massagem  reside na massagem de rosto, "Japanese Sake", que ajuda a reequilibrar o sistema interno através dos pontos reflexos do rosto.
Uma viagem 100% Oriental, inspirada nas áreas mais remotas do Japão.. 

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Colégio Americano de Médicos INDICA MASSAGEM EM VEZ DE DROGAS PARA DOR LOMBAR



O Colégio Americano de Médicos (ACP, na sigla em inglês) divulgou nesta segunda-feira novas recomendações para o tratamento de pacientes com dor lombar. Saem os medicamentos, sobretudo os opioides, entram as terapias não farmacêuticas, como aquecimento superficial, massagem e acupuntura. Se as drogas forem necessárias, as diretrizes sugerem a prescrição de anti-inflamatórios não esteroides e relaxantes musculares.

— Nós temos que olhar terapias não farmacêuticas primeiro — disse Nitin Damle, presidente do comitê da ACP, em entrevista ao “New York Times”. — Isso é uma mudança.

Na diretriz anterior, aprovada em 2007, a primeira recomendação era “considerar o uso de medicações com benefícios comprovados”. Para a maioria dos pacientes, dizia a entidade, “opções de medicação de primeira linha são drogas anti-inflamatórias não esteroides e paracetamol”. Na revisão, publicada agora, a ACP alerta que o paracetamol “se mostrou ineficaz para lombalgia aguda”.
De acordo com a associação, a dor lombar é uma das razões mais comuns pela procura de um médico, e cerca de um quarto dos americanos adultos dizem ter enfrentado esse problema ao menos uma vez nos últimos três meses. A lombalgia é classificada como aguda, quando dura menos de quatro semanas; subaguda, entre quatro e 12 semanas; e crônica, quando persiste por mais de 12 semanas.
As dores agudas e subagudas melhoram com o tempo, independentemente do tratamento. Dessa forma, “médicos e pacientes devem escolher tratamentos não farmacológicos como aquecimento superficial, massagem, acupuntura ou manipulação espinhal”.
— A dor lombar tem um curso natural e não requer intervenção — disse James Weinstein, diretor do Centro Médico Dartmouth-Hitchcock, em New Hampshire.
Mas até para pacientes com dor lombar crônica, a ACP recomenda como primeira alternativa terapias sem o uso de drogas:
“Exercícios, reabilitação multidisciplinar, acupuntura, redução do estresse, tai chi, ioga, exercício controle motor, relaxamento progressivo, eletromiografia, terapia a laser de baixo nível, terapia operante e cognitivo comportamental e manipulação espinhal demonstraram melhora nos sintomas, com baixo risco de danos”, diz a nova recomendação. “A ACP enfatiza que terapias físicas devem ser administradas por profissionais com treinamento apropriado”.
Caso o paciente não tenha uma resposta adequada, os médicos devem considerar o tratamento farmacológico com anti-inflamatórios não esteroides como primeira linha, e tramadol e duloxetina como segunda opção.
“Médicos devem apenas considerar opioides como opção em pacientes que falharam nos tratamentos anteriores, e apenas se os benefícios potenciais superarem os riscos”, diz a entidade.
— O que nós precisamos fazer é parar de medicalizar sintomas — afirmou Weinstein. — Eu sei que suas costas doem, mas vá correr, seja ativo, em vez de tomar uma pílula.

domingo, 26 de novembro de 2017

Massagem do Tecido Conjuntivo - O que é?


Massagem do Tecido Conjuntivo - O que é? - Seria um sistema de técnicas de massagem que tem como foco a melhora da tensão e mobilidade do tecido conjuntivo, aumentando de fora geral a circulação, relaxando a musculatura e melhorando o funcionamento dos órgãos internos. O objetivo da massagem determina quanto tempo o tratamento irá durar e ser administrado e o número das sessões. Cada sessão consiste de um tratamento geral na coluna, seguido por um tratamento bastante especifico nas varias zonas ou de outras áreas do corpo.  O tratamento por massagem pode ser feito diariamente, por aproximadamente 10 a 15 sessões se preciso. As técnicas de Massagem do Tecido Conjuntivo podem ser realizadas na maioria das áreas do corpo, não somente na região das costas, mas também em regiões mais periféricas.

A pessoa se senta em uma superfície firme com os quadris e joelhos em forma de ângulos retos, com os pés bem apoiados. As costas devem ficar expostas, mas o aspecto anterior do paciente pode ficar coberto durante o tratamento. O profissional (Terapeuta)  senta-se ou fica de pé por trás do paciente. Lubrificantes normalmente não são utilizados durante a aplicação da técnica. 

O tratamento inicia-se com um exame na pele que reveste das costas do paciente. É feita uma minuciosa avaliação e observação da postura dos músculos, como também uma palpação bem cuidadosa das estruturas orgânicas. Algumas partes podem ter um aspecto inchado. A palpação diagnóstica revela muitas vezes rigidez e tensão dos tecidos em certas partes do corpo. O foco do exame seria mapear as áreas de contorno anormal, ligando-as aos outros sinais e sintomas da pessoa (paciente), mas a própria avaliação tem um efeito profundo no sistema nervoso autônomo da pessoa. 

Depois do exame inicial, o tratamento se iniciará. São feitos dois tipos de manipulação: uma rápida e uma mais demorada. Os movimentos começam na região sacral, glútea ou lombar, nessa ordem que progridem para cima e para fora, e na direção das partes afetadas. É recomendável que todo o tratamento comece na área sacral, para se ter certeza de uma reação vascular normal da raiz da árvore de distribuição autônoma. Porém, é muito importante progredir para os seguimentos afetados de forma mais rápida. Os movimentos são feitos por uma tração tangencial do dedo médio apoiado pelo anular, ou indicador. Alguns profissionais terapeutas optam em usar o dedo indicador apoiado pelo dedo médio.

Normalmente, o paciente tem uma sensação de corte ou arranhadura, ou pressão indefinida. Estas respostas somem gradativamente, à medida que o paciente vai melhorando. São criadas respostas locais e gerais. A resposta mais óbvia à Massagem do Tecido Conjuntivo é a resposta local, visível sobre as áreas que estão sendo tratadas. Após alguns minutos aparecem tiras com uma cor avermelhada marcando as áreas onde o terapeuta aplicou a pressão.  A pressão dos dedos nos tecidos gera pequenos traumatismos na área, e isso libera várias substâncias que disparam reflexo. A liberação de histamina, com outra substancias produz a significativa vasodilatação ocorrente na área.

A resposta da Massagem do Tecido Conjuntivo varia muito, especialmente dependendo de quais as áreas estimuladas. As respostas gerais consistentes com um efeito no sistema nervoso autônomo duram várias horas após o tratamento: estimulação da circulação sanguinea, aumento do funcionamento dos órgãos viscerais, reequilíbrio da atividade autônoma.

São Poucas as contraindicações para a Massagem do Tecido Conjuntivo que seriam: alguns distúrbios cardíacos, condições cutâneas generalizadas que afetem as costas, câncer, excesso de pêlos nas costas, feridas abertas,ou outras lesões cutâneas na área a ser tratada.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Massoterapia para professores



Os professores cumprem um papel fundamental na transmissão e formação do conhecimento.
A rotina desses profissionais, contudo, nem sempre é fácil. Eles sofrem com a desvalorização, jornada longa, exaustiva e, muitas vezes, sem as condições adequadas de trabalho.
Passam longas horas em pé, e o alto nível de pressão e estresse podem se reverter em dores e lesões, o que acaba por refletir na qualidade do trabalho.

A massoterapia como aliada da educação 
Quando um profissional está com dores ou estressado, sua capacidade de concentração e execução decai.
Na educação, não é diferente.
Estresse e depressão estão entre os problemas mais comuns para afastamento de professores, segundo dados do Relatório do Ministério do Trabalho de Previdência Social de 2015.
Para mudar esse quadro, as escolas devem estar preparadas para garantir a saúde e bem-estar de seus profissionais.
Entre as ações possíveis está a concessão da massoterapia como benefício para o corpo docente.
Combinado com outras ações, como a ginástica laboral, acompanhamento psicológico e nutricional, é possível alcançar-se excelentes resultados.
A massoterapia, que pode ser realizada dentro da sala de professores, atua tanto no bem-estar físico como mental.
Além de contribuir para estimular a circulação e relaxar os músculos de regiões críticas como costas e ombros.
Desse modo ajuda a diminuir as dores causadas pela questão postural e a soltar as tensões decorrentes do desgaste emocional e do dia a dia.
Professores mais relaxados e livres de dores estarão mais preparados, motivados e engajados para dar suas aulas e lidar com os desafios da sala de aula.
Como resultado, todos saem ganhando: o profissional, a escola, seus alunos e a sociedade.
Portanto não deixe de lado essa questão tão importante.

Publicado por : www.jedhamassoterapia.com.br

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Conheça algumas terapias feitas com música


A vibração do gongo, a delicadeza da lira, a refinada taça tibetana... Descubra alguns instrumentos musicais que podem ser importantes aliados nas terapias




Mesa Lira: o fato de sermos compostos de cerca de 70% de água nos torna privilegiados para receber os benefícios das ondas sonoras, pois elas se propagam em meio líquido (Guilherme Clissi)


 Passarinhos cantando numa manhã de domingo. O barulhinho da chuva na hora de dormir. As buzinas insistentes que tornam o trânsito ainda mais desagradável. Estejamos ou não conscientes, vivemos imersos numa partitura sonora que influi positiva ou negativamente em nossa saúde física, mental e emocional.

Se não podemos controlar os ritmos externos que desarmonizam a vida, a boa notícia é que existem terapias que tiram partido de acordes agradáveis para nos devolver o bem-estar.

“É possível tratar dores, aliviar o estresse e a ansiedade, restabelecer o equilíbrio do sistema endócrino, melhorar as dores de cabeça e ainda equilibrar e limpar os centros energéticos do corpo por meio do som”, afirma o musicoterapeuta Diogo Camargo, de São Paulo. “Instrumentos específicos, como taças tibetanas, tingshas, gongos e mesa lira, entre outros, possuem uma variedade de harmônicos [sons simultâneos com base em uma nota musical fundamental, mais intensa] que são capazes de massagear cada célula do nosso corpo”, completa.

No livro Emotion and Meaning in Music (sem tradução brasileira), Leonard B. Meyer, americano estudioso do tema, parte do pressuposto da física quântica de que toda matéria estaria em constante vibração para explicar por que determinados tipos de som podem nos beneficiar. Segundo ele, se tudo o que vibra possui uma frequência – número de oscilações por segundo –, cada órgão do nosso organismo possuiria a sua. Ao emitir o som de um instrumento com essa mesma frequência, ondas sonoras e células entrariam em ressonância, reverberando um estado de saúde por todo o organismo.

Da mesma forma, seria possível descobrir áreas doentes do corpo. “Por exemplo, quando manipulo o instrumento tingsha, que tem o toque de um sino, o órgão que está sendo trabalhado reage aos padrões de compressão e dilatação causados pelas ondas sonoras. Se há algo errado, a frequência é alterada, e os harmônicos oscilam”, explica o terapeuta sonoro paulistano Peterson Menezes.

Utilizar o som como ferramenta para promover a saúde e o bem-estar é uma prática antiga. Por volta de 340 a.C., Alexandre, o Grande, costumava deitarse ouvindo a lira para dissipar o estresse das batalhas. Na cultura helenística, na mesma época, a flauta era usada para atenuar a dor ciática e a gota.

Na Bíblia, o Velho Testamento conta que, quando Davi tocava sua harpa, a depressão do rei Saul se esvaía. Se os exemplos históricos não convencem os céticos, alguns estudos dão sustância à ideia de que o som pode ser um poderoso aliado. Em 1787, o físico alemão Ernst Chladni provou que, submetidos às ondas acústicas de um arco de violino, grãos de areia formavam imagens harmônicas ou caóticas, dependendo da altura da nota a que eram submetidos. O médico, físico e músico alemão Hans Jenny fez uma experiência parecida em 1960. Ele fotografou tipos de pó, semissólidos (como mercúrio) e líquidos sob a influência de sons distintos. As mesmas imagens – geométricas e cheias de beleza ou feias e assimétricas – apareceram, dependendo, entre outros fatores, da frequência do som emitido.

O fato de sermos compostos de cerca de 70% de água nos torna privilegiados para receber os benefícios das ondas sonoras, pois elas se propagam em meio líquido. Não basta, porém, comprar os instrumentos e manipulá-los a esmo para se obter os efeitos terapêuticos. Para isso acontecer, é necessário um toque na frequência, no ritmo, no volume, na altura e na intensidade adequados à parte do corpo que se quer trabalhar.

Os terapeutas costumam consultar tabelas como a védica, a indiana e ainda outras para checar essas informações. “Ainda assim, não é uma ciência exata”, afirma o educador musical e terapeuta Marcelo Petraglia, da capital paulista. “Cada pessoa tem uma memória sonoraemocional própria. O terapeuta precisa estudá-la, conversando com o paciente ou submetendo-o a questionários para só então fazer um tratamento personalizado. Com base nisso, ele descobrirá os instrumentos e as formas de tocá-los mais apropriadas a cada caso”, completa.

Banho de gongo

Há indícios da existência do gongo – cujas propriedades revigorantes o tornam um dos mais estimados entre os terapeutas sonoros – desde a Idade do Bronze, por volta de 3 300 a.C. “A frequência da sua onda sonora costuma ser bem espaçada. Isso lhe confere o poder de reverberar dentro das células, limpando o corpo de padrões vibratórios negativos”, afirma Peterson Menezes, um dos poucos brasileiros a fabricar o instrumento em grandes dimensões (acima de 80 cm).

Ao contrário do que os filmes de artes marciais nos levam a crer, no entanto, o volume de um gongo não é necessariamente alto. Ele se parece mais com um vento, com um som em cascata. “A frequência depende também do seu tamanho. Cada nota age numa estrutura do corpo humano, e a forma como se toca e por quanto tempo variam de acordo com o objetivo terapêutico”, completa Peterson.

O chamado banho de gongo seria justamente a imersão nas ondas sonoras do instrumento, indicadas para fortalecer o sistema nervoso e atuar no alívio de doenças como a depressão e a síndrome do pânico. O paciente pode tanto ficar de pé na frente do instrumento, como de costas para ele ou deitado. Maria Regina Quintino, aposentada, 60 anos, faz análise para se tratar da depressão, mas complementa o tratamento com a terapia sonora: “Estou tomando o banho há seis meses, a cada quinze dias. Venho me sentindo mais leve e com mais pensamentos positivos”, relata.

Outra experiência singular é participar de um concerto meditativo coletivo. O terapeuta sonoro Daniel Ramam, do Rio de Janeiro, explica: “Os pacientes ficam deitados e recebem as ondas sonoras de taças tibetanas, gongos, taças de cristal, didgeridoo, entre outros. As vibrações circulam entre as pessoas, gerando um ambiente de saúde e harmonia”.

Mesa Lira

A delicadeza da mesa lira, no spa Unique Garden, no interior de São Paulo, emociona os pacientes.

Mais conhecida pela expressão em inglês, monochord table, a mesa lira é uma grande caixa de ressonância (sobre a qual é possível deitar-se) suspensa por pés de madeira e embaixo da qual existem 42 cordas de aço afinadas, na maioria dos casos, em ré (os terapeutas costumam preferir a nota por ter uma tonalidade grave e criar várias notas afins harmônicas). Sua origem é controversa.

Alguns acreditam que ela seja parente do instrumento monocórdio, inventado, segundo alguns estudiosos, pelo matemático Pitágoras por volta de 500 a.C. Outros discordam do parentesco e creditam tanto a criação da mesa quanto o seu desenvolvimento para propósitos terapêuticos ao musicoterapeuta suíço Joachim Marz, nos anos 1980.

O que é unânime, porém, entre os terapeutas do som é o potencial do instrumento para desbloquear tensões, realinhar os centros de energia do corpo e atuar nos sistemas metabólico e neurossensorial. “As muitas cordas afinadas no mesmo tom formam um especial e poderoso campo de harmônicos, que vibra frequências benéficas para todo o organismo”, conta o terapeuta Marcelo Petraglia, que introduziu a terapia com a mesa lira no Brasil em 2002.

“Outro benefício da mesa é que, como o paciente fica deitado sobre ela, os sons atravessam o corpo inteiro e passeiam pela coluna vertebral, distribuindo-se de forma equânime”, afirma o musicoterapeuta Diogo Camargo. O dentista Sérgio Fernandes, 43 anos, experimentou outras terapias sonoras, mas só na mesa lira encontrou alívio para as dores de cabeça: “O som é bastante forte e poderoso. Percorre a espinha dorsal de cima a baixo. Depois de quatro meses de terapia, consegui, enfim, me livrar dos analgésicos”.

Taças tibetanas

Também conhecidas como campainhas tibetanas, as taças de cobre levam ao relaxamento profundo.

Acredita-se que a prática terapêutica com taças tibetanas (vasilhames semelhantes a cuias) tem origem na cultura xamanista Bön, na Idade do Bronze. Esse povo vivia na região dos Himalaias e empregava os sons das taças, compostas predominantemente de cobre, para promover a saúde da comunidade.

“O propósito da terapia é fazer o paciente relaxar e, assim, despertar o poder autocurativo do corpo”, afirma a terapeuta sonora Regina Santos, do Rio de Janeiro. As vibrações produzidas pelo instrumento induzem o paciente a estados alterados de consciência, onde se geram ondas alfa e teta. Essas ondas são formadas naturalmente pelo cérebro quando estamos relaxados, em meditação, ou em sono superficial, respectivamente.

Os tipos e os tamanhos das taças variam de acordo com o método de trabalho utilizado pelo terapeuta. Na metodologia desenvolvida pelo engenheiro e pedagogo alemão Peter Hess – depois de realizar investigações biofísicas com monges no Nepal e na Índia, nos anos 1960 –, são três peças principais: a taça da bacia (29 cm de diâmetro), indicada para o tratamento de abdome, baixo-ventre, costas e quadris; a taça do coração (17 cm), para pescoço, coração e cabeça; e a taça universal (21 cm), recomendada para os membros e as articulações. Durante a massagem, enquanto o paciente está deitado, o terapeuta tanto pode mover e tocar as taças no ar, por cima do corpo dele, ou posicioná-las na área a ser trabalhada.

A pedagoga Fernanda Casilaro, 36 anos, é adepta do tratamento há três anos. “Eu sentia muitas dores na coluna, mas os exames pedidos pelo fisioterapeuta não apontavam nada. Com a massagem das taças, as dores sumiram. Acho que elas eram resultado do estresse e que eu só precisava relaxar e harmonizar as energias do corpo para me livrar delas”, conta.

Em sua tese de doutorado, finalizada em 2006, a pesquisadora alemã Christina Koller acompanhou 201 pessoas, com idades entre 21 e 78 anos, na Alemanha, na Suíça e na Áustria, que se submeteram a cinco massagens sonoras com as taças tibetanas, no período de uma semana. Ela aplicou questionários para medir a saúde física, mental e emocional dos participantes antes e depois de serem submetidos à terapia. Chegou à conclusão de que as pessoas obtiveram benefícios como diminuição do estresse e reforço de uma imagem corporal positiva. E mais ainda: ao aplicar os questionários cinco semanas após o tratamento, confirmou que os pacientes haviam mantido esses benefícios. Pode-se dizer que a paz se mantém para além da prazerosa hora ou hora e meia (dependendo da técnica empregada) de som-terapia.

Sequência de exercícios para manter a tranquilidade

Preparação: Sente-se confortavelmente, com os joelhos separados e a coluna ereta. Inspire e expire profundamente. Duração: 3 min.

Exercício 1: Ao inspirar e expirar, preste atenção ao som da passagem do ar pelas narinas. Se não for possível ouvi-lo, respire de forma um pouco mais forte, mas não por muito tempo. A ideia é perceber o som da sua respiração natural. Duração: 10 min.

Exercício 2: Com a boca fechada, busque relaxar a garganta, expandindo-a. Na hora de inspirar e expirar, faça o ar friccioná-la. Esse movimento provoca um som parecido com o de uma onda no mar. Você deve se concentrar nesse som e voltar a ele pacientemente toda vez que a sua mente se distrair com pensamentos. Duração: 3 min.

Exercício 3: Concentre-se nos sons do ambiente. Procure ouvir os mais próximos (o vento que entra pela janela, por exemplo) e os mais distantes (sons de pássaros, movimentos da rua etc.). Tente não formar julgamentos sobre esses sons, se são bons ou ruins. Apenas sinta-os e permaneça concentrado no presente. Duração: 10 min.

Exercício 4: Com o corpo relaxado e a coluna ereta, concentre a sua atenção na região peitoral até começar a ouvir as batidas do coração. Ouça-as com serenidade e atenção. Duração: 3 min. exercício 5: Inspire profundamente, enchendo primeiro a barriga com o ar, depois o tórax e, por último, a região dos ombros. Abra bem o maxilar e solte o ar emitindo o som do mantra “Om” até a barriga se esvaziar. Procure vocalizar a mesma quantidade de O e de M. Duração: nove repetições.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Massagem de re-equilíbrio




Este tipo de massagem foi desenvolvida inicialmente principalmente na civilização ancestral da China. Trata-se de uma terapia de re-equilíbrio físico e energético que age através de toque em determinadas áreas e pontos do corpo. As manobras aumentam o nível de energia do paciente, regulam e fortalecem o funcionamento dos órgãos, fazendo com que haja um maior estímulo das resistências naturais do organismo aos mecanismos desencadeadores das emoções. Este trabalho de normalização do fluxo energético traz uma sensação de equilíbrio interno, de leveza, bem-estar, e de integração consigo mesmo e com o agente da técnica. 

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Massagem é uma das iniciativas que colaboram para aliviar o estresse no dia a dia



Massagem  é uma das iniciativas que colaboram para aliviar o estresse no dia a dia
Sabe aquela hora, no meio do expediente, que bate uma vontade louca de sair correndo e largar tudo para trás? A tensão, o estresse físico e mental no ambiente laboral, além de desequilíbrio mental, acabam se transformando, muitas vezes, em dores musculares, de cabeça, na coluna e estomacal. Esses e outros transtornos são os principais motivos alegados em atestados médicos que chegam com certa frequência às áreas de Recursos Humanos. Entre as alternativas para minimizar esse tipo de problema, porém, está a massagem corporal.
Há algumas décadas, os americanos observaram um aumento considerável nos casos de afastamentos por Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT) e Lesões por Esforço Repetitivo (LER). A multinacional Apple foi uma das primeiras a oferecer sessões de massagens aos seus funcionários. O resultado foi a redução de faltas, aumento da produtividade, queda de lesões e sensível aumento da satisfação e bem-estar. 


Os benefícios do relaxamento corporal. "Distensiona músculos e nervos, estimula o cérebro a proporcionar bem-estar, tranquilidade, paz, calma e alegria. Vivemos num mundo altamente estressante. E se a massagem for acompanhada de meditação e técnicas de respiração, melhor ainda". 

A prevenção de doenças como estresse, ansiedade e depressão. A massagem reduz o número de afastamentos por dores, como na cabeça e coluna. 
Alguns exercícios, como alongamentos, meditação e caminhada, antes de encarar o batente. A massagem não tem quase nenhuma contraindicação. No entanto, não é indicada para pessoas com doenças de pele infecciosa, bolhas ou ferimentos que não estão curados. "E sempre é importante lembrar: procurar somente profissional qualificado para evitar problemas articulares e musculares".
Benefícios da massagem corporal :
Previne estresse, ansiedade e depressão
- Reduz afastamentos por gastrites, enxaquecas, tendinites e dores
- Diminui de gastos com medicamentos e consultas
- Promove sensação de bemestar e relaxamento
- Reduz dor muscular e estimula circulação sanguínea e linfática
- Colabora no controle da hipertensão arterial
- Reduz resíduos metabólicos do organismo
- Estimula reflexão sobre as relações interpessoais
- Motiva empregados para a realização de suas tarefas

Profissões mais estressantes (numa escala de até 100 pontos)
- Atendente de polícia, bombeiro e motorista de ambulância (98,5)
- Anestesista e operador de telemarketing (98,2)
- Dançarino (97)
- Ginecologista e obstetra (96,5)
- Piloto, copiloto de avião e engenheiro de avião (95,2)
- Flebotomista e cuidador (95)
- Comentarista de TV e jornal (94,7)
- Conselheiro de saúde mental e diretor de pré-escola (94,2)
- Detetive e clínico geral (94)
- Dentista (93,5)

domingo, 19 de novembro de 2017

Lomi Lomi Massage


sábado, 18 de novembro de 2017

Massagem faz uma verdadeira faxina corporal e mental


Engana-se quem pensa que a Massagem se limita ao tato. Embora ela exerça uma ação profunda sobre o corpo, seus toques vão muito além do físico: mergulham na emoção, tratando o ser humano em sua completude. 

A Massoterapia  é um dos pilares do milenar sistema de cura indiano da Ayurveda. A massagem é realizada através de toques profundos e vigorosos utilizando óleos/cremes , e é capaz de fazer uma verdadeira faxina corporal, mental em nós.

“É uma desintoxicação do corpo e das emoções”. “Todo desequilíbrio vem de um mau uso dos sentidos, e a massagem vai justamente identificar e curar o que está desequilibrando aquele corpo”.

A Massassagem exige entrega. Durante o processo, alguns pontos-chave do corpo são pressionados, e é surpreendente notar o quanto eles trazem à tona as mais diversas emoções e padrões que internalizamos.

Através do pescoço, por exemplo, é possível identificar sentimentos presos de raiva e necessidade de controle; já os antebraços falam sobre o nosso poder de ação e realização; assim como na barriga se encontram pontos ligados aos medos e ao apego…

Todo esse trabalho de aliviar sentimentos presos em forma de tensão e males faz da massagem um momento de total liberação. E, sim, esse processo pode ser doloroso, mas é extremamente libertador e relaxante ao final.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

10 Benefícios da Massagem para a Saúde



A massagem é uma das técnicas mais antigas para a promoção da saúde e bem estar. Ela compõe uma combinação de movimentos repetitivos aplicados em várias partes do corpo. Atualmente existem vários métodos de massagem com funções diferenciadas que proporcionam um simples relaxamento ou a cura de uma doença.
Seus grandes benefícios vão desde melhorar o sono e humor até há tratar constipação e auxiliar no tratamento de câncer, o que a torna parte da medicina alternativa. Por outro lado, algumas pessoas a praticam como uma forma de prevenção de lesões, envelhecimento e estresse.
Conheça agora 10 incríveis benefícios da massagem
1- Aumenta a imunidade
Sabia que massagens podem potencializar seu sistema imune? Isso acontece devido ao aumento dos glóbulos brancos, responsáveis pela proteção de doenças. Por aumentar a circulação sanguínea, ela promove o bom funcionamento dos órgãos em geral.
Ainda podemos dizer que o relaxamento experimentado depois de uma sessão combate o estresse, um dos principais vilões da saúde.

2- Trata a depressão

Conhecida como o mal do século, a depressão, é reconhecida como uma doença física, resultado da falta de neurotransmissores e dos hormônios da felicidade. Então, a cura se baseia em suprir essa necessidade. Nesse caso, a massagem é indicada como forma de terapia ou tratamento complementar.
Alguns pesquisadores de Taiwan, analisaram mais de 17 pesquisas e descobriram que uma massagem relaxante pode diminuir gradativamente sintomas da depressão.
3- Ajuda no tratamento do câncer
Parece mentira mas está comprovado que massagem auxilia no tratamento dos sintomas gerados pelo câncer.
Em 2004, foi realizado um estudo no Memorial Sloan-Kettering Cancer Center, na cidade de Nova York, e notou-se que pacientes com câncer sentiram menos dor, fadiga, estresse, depressão, náuseas e um aumento significativo na qualidade de vida, depois de algumas sessões de massagem profunda.

4- Alívio da ansiedade e estresse

Quem nunca quis uma massagem depois de um dia cansativo?! A principal explicação está no fato de que movimentos relaxantes e repetitivos retiram a tensão dos nervos deixando todo o corpo mais flexível. Também ocorre uma sensação de bem estar pois o cérebro libera mais endorfinas e diminui os hormônios do mal humor.
O que torna a massagem tão diferente é o fato de poder ser feita diariamente em pessoas de qualquer idade, inclusive em crianças.

5- Trata insônia

Fazer uma massagem depois de um longo dia de trabalho não só diminui o cansaço, mas provoca um relaxamento físico e mental profundo, o que promove uma boa noite de sono.
Uma pesquisa feita pela Faculdade de Medicina da Universidade de , reuniu cerca de 30 pessoas que sofriam com dor crônica. Essas pessoas receberam massagens 2 vezes por semana durante um mês aproximadamente e entre os resultados constatou-se que distúrbios do sono como acordar várias vezes na noite ou a demora pra pegar no sono tiveram uma grande melhora.

6- Redução da dor

Massagem para diminuir a dor é extremamente eficaz em casos de dor crônica, sendo indicada pelos próprios médicos.
Durante a sessão, o massagista se concentra em liberar pontos de dor, alonga os músculos e diminui tensões. Isso aumenta a circulação no local reduzindo a dor e a eliminação de toxinas.
Dores pós cirurgia, enxaqueca, lombar e pós treino tem tido excelentes resultados com o uso de massagem diária ou semanal.

7- Fortalece o sistema urinário e digestivo

Massagem abdominal melhora o corpo externamente e internamente promovendo o bom funcionamento do organismo como um todo. Em especial, órgãos do sistema urinário e digestivo funcionam de forma adequada quando são estimulados.
Um estudo publicado pelo International Journal of Nursing Studies mostrou que massagem pode ser indicada no tratamento de constipação. Cerca de 60 pessoas foram divididas em 2 grupos, o primeiro recebeu laxante e sessões de massagens e o segundo recebeu apenas laxante. Depois de 8 semanas, o resultado foi uma redução duas vezes maior nos problemas intestinais do grupo da massagem.

8- Melhora o funcionamento do coração

A massagem conduz o sangue por todo o organismo mais rapidamente, melhorando a circulação. Além disso, a imunidade do corpo aumenta e o protege contra os radicais livres.
Outro beneficio é a regularização da pressão arterial e da frequência cardíaca, ideal para quem sofre algum tipo de disfunção.

9- Promove a beleza

Mais do que uma questão de saúde a massagem também promove a beleza. Existem massagens que utilizam de técnicas específicas para o tratamento da postura e defeitos estéticos.
Já outras, conferem brilho ou tonicidade, por aumentar a circulação no local, também preveni o envelhecimento precoce por estimular a regeneração das células e aumenta a flexibilidade.
Além disso, o uso de óleos corporais hidratam a pele do corpo evitando o ressecamento.

10- Ajuda no parto

Futuras mamães encontram na massagem, junto com técnicas de respiração, uma forma de diminuir a dor nas costas durante o parto.
A massagem também ajuda no pós parto pois as mães tem uma recuperação mais rápida e ficam menos tempo no hospital.

II) Fatores de riscos

Massagem como qualquer outro procedimento não é indicado para todas as pessoas, veja alguns fatores de risco:
  • Osteoporose grave
  • Trombose profunda
  • Queimaduras
  • Lesões na pele
  • Fraturas
  • Problemas hemorrágicos
  • Uso de afinadores de sangue

domingo, 12 de novembro de 2017

A LINGUAGEM DO CONTATO


Tocar significa contactar, ou seja, relacionar-se com aquilo que se situa fora de nossa própria periferia, o solo situado sob nossos pés. E para os seres humanos, como para os outros animais, o ato de tocar é de importância vital. O contato instila confiança, transmite calor, prazer, conforto e renovada vitalidade. O contato nos diz que não estamos sós.
Dentre todos os sentidos, o tato é o primeiro a desenvolver-se. Como bebês, é principalmente pela nossa experiência tátil que exploramos e percebemos o mundo, e o contato amoroso de nossos pais é essencial para nosso crescimento. Desde que nossa necessidade de tocar e ser tocado é satisfeita, crescemos saudáveis; mas, quando ela é inibida,nosso desenvolvimento pode ficar comprometido. Porque as carícias, abraços e afagos que recebemos na infância nos ajudam a construir uma imagem saudável de nós mesmos e acalentar o sentimento de que, porque somos tocados, somos aceitos e amados.Há mais de vinte anos, o psicólogo americano S.M.Jourard demonstrou que nossa percepção do quanto somos tocados por outras pessoas parece estar nitidamente relacionado a nossa auto-estima e a quanto nós nos valorizamos.
Experimentos com filhotes de primatas demonstraram como é essencial o contato físico com uma mãe “quentinha” e carinhosa e, por outro lado, o quanto pode ser física e emocionalmente bloqueadora a privação do contato, uma vez que todas as nossas sensações de realidade estão baseadas no sentido do tato. Em nossa sociedade, ser privado do contato com os outros seres humanos é uma punição – e a pior de todas as punições é o confinamento numa solitária. Ao sermos impedidos de tocar e ser tocados sentimo-nos angustiosamente sozinhos e ansiosos. Num recente estudo clínico norte-americano, os clientes que tiveram negado o contato informaram ter-se sentido agudamente isolados e desligados do calor do contato humano.
O tato é a linguagem que todos nós usamos instintivamente para revelar nossos sentimentos, para demonstrar às outras pessoas que são amadas, desejadas ou apreciadas. “- Deixe-me massagear um pouco, que logo vai melhorar” é nossa resposta natural aos tombos e às contusões; as mãos se movimentam rapidamente, indo repousar em testas febris ou aliviar dores de barriga ou de cabeça. A dor emocional também evoca uma resposta imediata. Ao pegar no colo, confortar, acariciar, transmitimos simpatia, compreensão, incentivo. Sozinhos e sentindo dor, embalamo-nos e abraçamos com intensidade, repousamos a cabeça cansada nas mãos, massageando de forma inconsciente nossos membros doloridos. Mas, afora talvez o abraço de duas pessoas, gesto puramente de amizade, ou para transmitir nossa felicidade ou alegria, não nos teremos desviado demasiadamente de nossos instintos ao reservar a linguagem do tato exclusivamente para os gemidos de dor e tristeza, ou no momento do sexo – por ter medo do contato que signifique apenas afeição, ou um modo de relaxar?

sábado, 11 de novembro de 2017

OS BENEFÍCIOS DA MASSAGEM CONTRA A DEPRESSÃO !


A organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que até 2020 a depressão será maior , perdendo apenas para doenças cardíacas , como a principal causa da incapacidade no mundo . Essa é uma previsão preocupante. O fato é que a maioria das pessoas é afetada por algum tipo de depressão em algum momentos de suas vidas .

Quando a massagem não é uma cura para depressão , pode ajudar a diminuir os sentimentos depressivos . 

Um dos mais conhecidos benefícios da massagem terapêuticas é a sua capacidade de aumentar a sensação de bem estar , estudos mostram isso.

A serotonina é responsável pela transmissão de massagem nervosas e ajuda a sustentar a sensação de bem estar . A Massagem libera a serotonina e endorfina. A Serotonina atua como um mediador para acalmar o corpo, enquanto as endorfinas atuam como um estimulador de prazer para o cérebro!

A massagem também ajuda a diminuir o hormônio do estresse , o cortiçol. Além disso , massagem terapêutica alivia a tensão e promove o relaxamento , o que leva a uma imediata e significativa redução no cortiçol, as vezes por mais de 40 por cento.
Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails